Liturgia

A palavra liturgia significa, segundo o tradicional dicionário, o culto público e oficial instituído por uma igreja; um ritual ou cerimonial religioso [1]. A palavra liturgia tem sua origem primeira no grego leitourgia (leitourgia) , que significa serviço ritual ou de outra natureza; um serviço prestado a alguém em necessidade, executar um serviço (religioso) [2]. A família leitourg - no uso grego-romano denota vários tipos de serviço público ou cívico, cúltico e secular. Os escritores do N.T, adotaram a terminologia em relação à compreensão cristã da responsabilidade perante Deus e da solicitude generosa pelos seres humanos. A palavra substantiva e seus correlatos verbais e nominais aparecem no Novo Testamento cerca de 15 vezes. [3]

“Liturgia” sempre que aparece no N.T. tem a conotação de serviço , ou de alguém engajado em um serviço de caráter sagrado; que pode ser traduzido por culto ou adoração. Não é exclusivo o uso da palavra liturgia para denotar serviço cúltico; entretanto, as palavras associadas ao sentido terão sempre conotação de serviço [4]. Note, por exemplo, que o conceito foi adotado pela cultura de língua inglesa a ponto de chamar o culto de serviço ( service ), em referência à palavra original e seu significado.

Dr. Hermisten Maia Pereira da Costa, identifica culto como liturgia, ou seja, culto é liturgia; entendendo até errôneo utilizar a expressão “liturgia do culto”. [5]

Define Dom Gregory Dix: “‘Liturgia' é o termo dado desde os tempos apostólicos ao ato em que juntos participamos no culto solene de Deus na qualidade de sociedade ‘sacerdotal' de cristãos, também chamada de ‘corpo de Cristo', e Igreja”. [6] O entendimento hodierno é que liturgia é aquele programa impresso que coordena os movimentos dentro do culto, que por vezes, torna o culto sem liberdade, frio e mecânico. Mas isto não é verdadeiro! Liturgia significa “pessoas trabalhando”, não pessoas se divertindo, se alegrando [7], fazendo o que bem entendem, antes, pessoas trabalhando conforme a vontade de Deus. Estar envolvido liturgicamente é estar trabalhando na adoração, no culto [8]. Concluímos: liturgia é a manifestação pública do encontro de Deus com seu povo. Liturgia é culto.

 

Culto

Muitos escritores têm se empenhado em definir o culto da maneira melhor possível. Por se tratar então de um aspecto tão debatido, a intenção aqui não é fornecer uma melhor definição, mas uma que seja coerente com a crença Bíblico-reformada. Podemos dizer que culto é o ato público de adoração a Deus. O artigo 7 da Constituição Presbiteriana, sobre o culto público diz: “ O culto público é um ato religioso, através do qual o povo de Deus adora o Senhor, entrando em comunhão com ele, fazendo-lhe confissão de pecados e buscando, pela mediação de Jesus Cristo, o perdão, a santificação da vida e o crescimento espiritual. É a ocasião oportuna para a proclamação da mensagem redentora do Evangelho de Cristo e para a doutrinação e congraçamento dos crentes. ” [9]

Culto é a reunião do Povo de Deus, com o Seu Deus, onde: o povo se apresenta diante do seu Criador-Redentor e oferece adoração, e Deus recebe nossa solenidade falando-nos viva e profundamente através da exposição fiel de sua Palavra. Dr. Valdeci dos Santos afirma que “... o culto cristão é a dedicação de nós mesmos a Deus com aceitação de sua paternidade, soberania e misericórdia, e exultante reconhecimento de sua glória, majestade e graça. O culto cristão é prestado espiritualmente, com o auxílio do Espírito Santo; tem Jesus Cristo como único mediador, e baseia-se no conhecimento verdadeiro de Deus”.[10]

 

[1] - Dicionário Aurélio e Multidicionário e redação Mérito Escolar – liturgia.

[2] - “‘Leitourgeo' vem de ‘laos', povo, e ‘ergon', trabalho; o que se faz em benefício da comunidade. Significa, portanto, prestação de serviço público, nobre ou não, tanto no palácio real como no templo. “Leitourgos”, no âmbito religioso, era quem se dedicava exclusivamente ao serviço do templo quer na ordem cerimonial e ritual quer na manutenção e administração do imóvel, dos móveis e dos objetos consagrados a Deus e destinados ao culto.” Onézio Figueiredo, O Culto – Opúsculo II , p. 3

[3] - Hb 1.7 (leitourgouz), 1.14 (leitourgika); 8.2 (leitourgon), 8.6 (leitourgiaz); 9.21(leitourgiaz); 10.11 (leitourgwn); At.13.2 (leitourgountwn); Lc1.23 (leitourgiaz); IICo9.12 (leitourgiaz); Fp2.17 (leitourgia), 25 (leitourgon), 30 (leitourgiaz); Rm 13.6 (leitourgoi); 15.16 (leitourgon); 15.27 (leitourghsai).

[4] - Concorda o Rev. Onézio Figueiredo: “Todas as palavras gregas para culto significam trabalho, serviço prestado a um superior, serviço prestado a Deus”. O Culto - Opúsculo II , p. 3

[5] - “A liturgia é o serviço religioso de adoração ao Deus triúno. Portanto, não pode haver culto sem liturgia; nem liturgia sem culto, pois, culto é serviço religioso, e serviço religioso é liturgia. Logo, culto é liturgia! Deste modo, não devemos falar, como acontece com tanta freqüência, de ‘liturgia do culto', isto é um exercício tautológico desnecessário e, pior, empobrecedor do significado do culto.” Hermisten M.P. Costa , Princípios Bíblicos-Reformados da Adoração Cristã , 2002, p. 33 (Anotações de aula na disciplina Teologia do Culto).

[6] - Dom Gregory Dix, Estudos de Liturgia e Arte, 1, liturgia e Ação Eucarística (Liturgia e Forma) , Tradução de Jaci Maraschin, Instituto ecumênico de Pós-graduação em Ciências da Religião (IMS), p.1.

[7] - Muitos, modernamente, entendem que culto é “invocação da divindade”, para que o Deus invocado se coloque a serviço dos invocadores. Outros pensam que culto é uma festa espiritual com o objetivo de alegrar os fiéis. Quanto mais festivo, mais “espiritual” é o culto, pensam os ludinistas. Os idólatras acham que culto é veneração e adoração do divino consubstanciado ou materializado em ícones, que lhes servem de símbolos e objetos de fé ”. Onézio Figueiredo, O Culto – Opúsculo II , p. 3

[8] - “Quando trabalhamos no culto, nós, na verdade, expressamos a dignidade de Deus. Entretanto nós, trabalhadores , somos indignos, por natureza, para expressar a dignidade de Deus. Como, então, nós que somos indignos, podemos expressar dignidade? Esse tem sido o problema básico da liturgia e do culto desde a entrada do pecado até agora”. Gerard Van Groningen, As Influências do Culto do Antigo Testamento na Liturgia,
www.ipcb.org.br

[9] - Manual Presbiteriano, 15ª edição, São Paulo: Cultura Cristã,1999.

[10] - Valdeci dos Santos , op.cit. , p.21 .